Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sketchbook SIX

06
Abr16

Amesterdão


Já há muito tempo que queria ir a Amesterdão, era uma cidade que me despertava imenso interesse e que não conhecia e pela qual fiquei completamente apaixonada. Decidimos marcar a viagem para o primeiro fim-de-semana de abril, principalmente porque queríamos apanhar bom tempo e tínhamos o intuito de irmos ver os campos de tulipas que só estão cheios nesta altura do ano. No entanto Amesterdão é uma cidade encantadora em qualquer altura. Adorei o mood da cidade, o estilo de vida descontraído dos holandeses, a boa disposição e acima de tudo a simpatia. 

Antes de vos deixar com o roteiro, deixo-vos com algumas informações que podem ser úteis se estiverem a pensar em visitar a cidade em breve.


duração
Amesterdão é uma cidade encantadora, optámos por ficar 3 dias que chegaram perfeitamente para vermos e conhecermos a cidade e arredores. A cidade é encantadora e facilmente vão de uma ponta à outra, exploram as ruas, a zona dos museus e espreitam os principais pontos de interesse. Durante estes 3 dias ainda tivemos tempo para ir a Keukenhof, que fica fora do centro (cerca de 35km) para irmos ver os campos de tulipas que só estão abertos entre Abril e Maio e que vale a pena a viagem.

viagem
Fomos de avião para Amesterdão, actualmente há uma série de companhias que voam para lá com preços bem simpáticos, costumo consultar o site eDreams que acaba por reunir os melhores preços de várias companhias e onde encontram "bons achados". O voo tem uma duração de cerca de 3horas e foi um voo directo de Lisboa para o aeroporto de Schiphol, que fica a 15km do centro de Amesterdão.

estadia
Quanto a estadia, se fizerem uma pesquisa rápida podem encontrar ofertas para todos os gostos, sendo que os hósteis são as ofertas mais comuns na cidade, e há um pouco de tudo. Desde os mais modernos e divertidos aos mais típicos no centro da cidade. No nosso caso ficámos a 5km do centro numa zona mais sossegada, em Zuid e escolhemos um hotel super giro que tinha acabado de abrir, o Element hotel by Westin. É um hotel moderno e que vive muito o espírito dos países nórdicos, tudo aqui é biológico e homemade, desde os dois restaurantes do hotel aos produtos de casa de banho. Escolhemos este precisamente por cada quarto ser um estúdio com kitchenette, super bem equipado e que acabou por ser tornar mais cómodo precisamente porque quando são estas viagens a explorar a cidade, chegamos à noite exaustos e nem todas as noites temos vontade de sair para ir comer qualquer coisa. 

No entanto se forem viajar com um grupo de amigos os hósteis acabam por ser a melhor opção, acaba por ficar muito mais barato e é uma experiência totalmente diferente. Pensámos também em ficar hospedados numa boat house há uma série delas que podem alugar e que acabam por dar proporcionar uma experiência totalmente diferente à viagem. Podem espreitar em sites como o Booking ou Hostels. Podem ainda optar pelo alojamento local, alugarem um apartamento ou uma casa, espreitem no HomeAway ou no Airbnb


transportes
Quanto a transportes, andámos sempre de bicicleta e a pé. Alugámos perto do hotel no Black Bikes duas bicicletas para os 3 dias, precisamente porque como estávamos a 5km do centro da cidade tornava-se mais fácil e queríamos viver esta experiência de usar a bicicleta como principal meio de transporte - aliás, como sabem foi um presente de natal que ofereci ao meu namorado e ele adora andar de bicicleta, daí a ter-me lembrado de amesterdão e fazia todo o sentido andarmos em duas rodas pela cidade. Há uma série de lojas de aluguer de bicicletas pela cidade, pelo que se pensarem em alugar vão facilmente encontrar uma.

O aluguer das bicicletas para os três dias ficou a cerca de 35euros a cada um e acabou por se tornar uma experiência super gira e divertida, apesar dos holandeses serem loucos nas ciclovias e andarem a abrir, acaba por se tornar super divertido e vale mesmo a pena. Têm só de ter especial atenção nas mudanças de direcção e com o facto das motas e ciclomotores também andarem nas ciclovias, de resto é uma experiência bem divertida e acabamos por fazer algum exercício físico enquanto vemos a cidade. No centro da cidade têm vários locais onde podem "estacionar" facilmente as vossas bicicletas, as ruas são todas muito semelhantes e por isso o truque é deixarem num local estratégico e que se lembrem, estilo perto do museu Van Gogh, na praça Dam ou na estação Central. Escolham locais ou pontos de interesse para, caso se percam, saibam onde é que deixaram as vossas bicicletas. 

Para irem para do aeroporto para o centro da cidade têm vários comboios que apanham directamente do aeroporto e que passam de 10 em 10 minutos. Chegam facilmente ao centro da cidade em poucos minutos e é a forma mais barata de o fazerem. Têm também a opção de irem de táxi mas acaba por sair bem mais caro, o preço dos bilhetes de comboio ronda os 3€ e os táxis ultrapassam os 50€.



a cidade & algumas dicas
Antes de viajarem, façam o download da aplicação Tripomatic, que vos ajuda a planearem bem a vossa viagem, organizarem por dias e verem as distâncias entre as principais atracções e pontos de interesse. Podem também adicionar os vossos pontos de interesse através das moradas e incluir no vosso próprio roteiro. É uma das aplicações que tenho sempre cada vez que viajo pois é muito mais fácil de nos organizarmos.As ruas são todas muito parecidas, lindas de morrer e muito particulares. A cidade está cheia de bicicletas, há bicicletas por todo o lado, inclusive há mais bicicletas do que habitantes em Amesterdão e é o principal meio de transporte por aqui.

Uma das coisas de que mais gostei foi de andar a explorar as ruas, as lojas locais, mercados locais, lojas vintage, lojas de comida e tudo super arranjinho com muito boa onda e que dá mesmo gosto de conhecer. Têm obviamente de visitar a casa de Anne Frank, onde vão apanhar filas enormes para entrarem mas que vale a pena (a entrada custa 9€), para além do museu de Anne Frank não podem deixar de visitar o Museu Van Gogh e explorarem a cidade com um passeio pelos canais. Experimentem os queijos holandeses que são incríveis, há várias lojas só dedicadas aos queijos e onde podem provar - mesmo quem não gosta que é o caso do Manel, ficou absolutamente rendido principalmente ao queijo Gouda que é super parecido com o queijo parmesão mas muito mais cremoso e suave. Para compras, têm as lojas locais que são as mais giras obviamente mas têm ainda outras como a Forever XXI, Topshop, Urban Outfitters entre outras na Kalverstraat e na Damrak, que são as principais ruas dedicadas ao comércio.




food 
Visitámos imensos sítios giros e diferentes, inclusive uma loja de gomas biológicas, vegetarianas, glúten e lactose free, a Candy Freaks que é numa zona também super gira da cidade, fica na Nieuwe Hoogstraat. Outra coisa que precisam mesmo de saber: comida! Achei tudo delicioso em Amesterdão, mesmo! Optámos sempre por sítios giros e diferentes, fugindo das grandes cadeias (com a excepção de um jantar onde acabámos por ir ao Vapiano que é uma grande paixão nossa). Há restaurantes e cafés onde comem super bem, desde comida local, biológica, vegetariana ou outras opções. Vão encontrar muitos restaurantes com comida típica, restaurantes japoneses e italianos. Há um pouco de tudo para todos os gostos. Há ainda imensos locais com brunch e outros dedicados só a bagels e a waffles. Vai ser difícil resistir! Não podem deixar de ir comer a melhor tarte de maçã, a do Café Winkel ou experimentarem as panquecas do Pancake Bakery, ambos perto da casa de Anne Frank. Para brunch há dois locais obrigatórios: The Lobby para experimentarem os Eggs Royale ou os Eggs Beneddict e o Bakers&Roasters.



06
Abr16

Homemade Granola




A granola é das coisas mais fáceis de fazermos e das coisas mais saudáveis que podemos e devemos incluir no nosso pequeno-almoço e se for homemade, melhor ainda. Porquê? Porque mistura uma série de frutos secos ricos em fibras, gorduras boas e algumas sementes ricas em proteínas. O facto de ser feito homemade faz com que consigamos controlar a quantidade gorduras e dos óleos que adicionamos para criar aquela crosta mais doce e que une a mistura dos alimentos secos, se fizermos em casa conseguimos controlar não só os ingredientes mas também a quantidade, usarmos apenas as quantidades necessárias e não adicionarmos açúcares extras. 







Esta receita é uma receita que adaptei do livro da Ella, do Deliciously Ella e que pode ser facilmente adaptada aos vossos gostos pessoais, a base é sempre a mesma e podem e devem adicionar o que mais gostarem. Neste caso é uma granola feita com flocos de aveia (costumo usar sem glúten, mas podem usar normal), nozes de pecan, lascas de côco, sementes de girassol e sementes de abóbora. Mas também gosto de adicionar bagas de goji, lascas de côco biológico e cacau cru por exemplo. Super rápido e fácil de fazer e como vêm as possibilidades são imensas. 

INGREDIENTES
180gr de nozes de pecan 
100gr amêndoas com pele
240gr de flocos de aveia
175gr de sementes de abóbora
175gr de sementes de girassol
3 colheres de sopa de óleo de côco
3 colheres de sopa de xarope de ácer ou de mel
1 colher de sopa de canela em pó

LET'S DO THIS
1# Começo por pré-aquecer o forno a 180ºC;
2# Num tacho coloco o óleo de côco, o xarope de ácer e a canela em pó e derreto tudo, misturando bem até ficar uma mistura uniforme;
3# Junto os frutos secos maiores numa trituradora apenas para os partir, sem os desfazer totalmente, neste caso as nozes de pecan e as amêndoas;
4# Tuma tigela misturo os flocos de aveia, as sementes de girassol e as sementes de abóbora e depois adiciono os frutos secos maiores já partidos e a calda. Misturo tudo bem
5# Forro um tabuleiro com papel vegetal e espalho a granola por todo o tabuleiro de forma a que fique tostada por igual
6# Levo ao forno a 180ºC por cerca de 30 a 40 minutos. 

Quando começar a ficar tostada está pronta, mas nem têm de contar os minutos, o cheirinho delicioso vai sentir-se pela casa inteira! Depois podem guardar em frascos e terem sempre à mão em casa para juntarem aos vossos pequenos-almoços ou lanches com iogurtes, fruta ou queijo quark. Yummmmm! Costumo comprar os ingredientes secos no Continente, na área dos frutos secos e quando não há acabo por comprar no Brio ou no Celeiro por exemplo que costumam ter e é onde também encontram os outros ingredientes como óleo de côco e o xarope de ácer . 





PUB