Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Sketchbook SIX

03
Out15

Valorizar o que é nosso



Não sou muito de escrever posts deste género, mas nas últimas semanas tenho visto algumas atitudes repetidas que me deixar particularmente triste e preocupada. Atitudes essas relacionadas com comentários maldosos ao corpo da Carolina Patrocínio, críticas ao look escolhido pela Cristina Ferreira para a Milan Fashion Week ou até mesmo comentários menos positivos relativamente ao documentário que vai estrear sobre o Cristiano Ronaldo. Não consigo perceber esta tendência que há para desdenhar e criticar o que é nosso e o que vamos fazendo à nossa maneira. 

No que diz respeito ao corpo da Carolina Patrocínio ou ao corpo da Jéssica Athayde, não sabemos o que está por detrás, não podemos falar sem saber e é algo que nós, portugueses, fazemos muito. E sobre este assunto relativamente ao corpo, já escrevi vezes e vezes sem conta, importa o que comemos, o nosso estilo de vida, a nossa saúde e a nossa felicidade. Cada um é como cada qual, sempre me disseram e não temos de criticar o facto de ser mais gorda ou mais magra, tal como aconteceu há pouco tempo com a modelo Gigi Hadid que foi criticada por estar em baixo de forma.  Sinceramente há certos padrões que têm de mudar, o que é considerado como um padrão de beleza neste momento é definido por medidas, para mim esse padrão deveria ser medido por saúde e por felicidade, até porque, falando do mundo da moda, 98% das mulheres reais não têm um corpo de modelo, certo? Mas aos poucos vamos assistindo a uma mudança e acho que vamos lá chegar. 

Agora quanto ao look escolhido pela Cristina Ferreira, provavelmente se fosse um blogger internacional ou uma Anna Dello Russo, iríamos achar o look escolhido genial, muito pop art ou moschino next big thing, mas como foi a Cristina Ferreira, achámos só que era ridículo e não tardaram em nascer os comentários negativos que correram a internet. Foi um look arriscado sim, mas vi comentários demasiado maldosos e depreciativos. Por fim e para completar a onda de comentários negativo que se fez sentir, saiu o trailer do documentário de Cristiano Ronaldo e também não tardaram em surgir alguns comentários menos positivos sobre a vida dele e o filme que aí vem... na minha opinião e conhecendo a história de vida dele e o percurso do Cristiano até hoje, acho que vai acabar por ser um documentário bastante inspirador e motivador para todos nós, vamos conseguir tirar pelo menos uma lição de tudo isto "lutar pelos nossos sonhos e pelos nossos objectivos". Ele é o melhor, independentemente do que se diga, já foi reconhecido variadíssimas vezes e já deu provas disso. É adorado em todo o lado e dos sítios onde é mais criticado, curiosamente é em Portugal. Vamos aprender a valorizar o que é nosso. 


03
Mai15

Desafio: Saltos altos


Quem me conhece bem sabe que sou uma pessoa de extremos no que toca a sapatos, ou saltos bem altos ou ténis, contudo para o dia-a-dia e visto que a calçada portuguesa não colabora com os nossos maravilhosos saltos e sapatos super giros, os ténis são o calçado que anda praticamente todos os dias nos meus pés. 

No entanto, só nós, mulheres, sabemos como sabe bem calçar uns saltos e como nos sentimos confiantes, principalmente se forem os nossos sapatos favoritos, certo? Gosto muito de usar saltos altos, principalmente porque tornam o look logo muito mais feminino e elegante. O desafio é simples, encontrar o par de sapatos com salto (sem ser em cunha) para andar no dia-a-dia ou começar a usar com um salto médio, sem ser de muitos extremos, até porque o salto médio é uma grande tendência esta estação e é o suficiente para dar aquele boost e alongar um pouco a perna - principalmente às mais pequeninas como eu. Mas atenção, não vamos cair no salto ridículo, vamos encontrar um meio termo. Quem está comigo? 



photo: src
10
Mar15

Ao amor



Sabe tão bem sonhar, sempre sonhei e sempre me envolvi demasiado nos contos de fadas. Os meus pais sempre me incutiram isso, deixarem-me sonhar com princesas Disney e com histórias de amor. Sou apaixonada por tudo na vida, pelo que faço, pela minha família, pelo meu namorado e pela família dele. Sou apaixonada pelos meus amigos e sou apaixonada pela natureza, pelos animais, pelo sol e pela vida. Acima de tudo, sei que existem contos de fadas e tudo começa a partir do momento em que estamos vivos, somos nós que o fazemos, à nossa maneira. 

Vi este vídeo e como romântica incurável que sou, sorri e fiquei apaixonada pelo gesto. Sabe tão bem saber que as almas gémeas existem, que num mundo marcado pela violência, pela escassez de tempo, ainda existem pessoas que se dedicam umas às outras desta forma. Ele pediu-a em casamento todos os dias, durante um ano. Foram 365 pedidos em casamento sem ela saber. Vejam o vídeo, vale realmente a pena verem, e para quem gosta realmente deste tipo de vídeos, aqui fica outra sugestão

P.S. preparem os lenços ihihih


10
Abr14

Girls talk # Coisas que só as fashionistas entendem



No outro dia estava eu nas minhas pesquisas, quando me deparei com um artigo super engraçado na Marie Claire que falava das "Coisas que só as fashion girls entendem", apesar de não concordar com todas, achei super engraçado e então decidi traduzi-lo para colocar aqui e partilhar convosco.


1. O que acontece na casa de banho quando usamos um macacão. É frustrante, mas o macacão é tão lindo que não o deixamos de usar por causa disso, right

2. Usar óculos de sol, mesmo quando está nublado, e chuvoso e .. enfim.. Porque no fundo até está alguma claridade, às vezes é mesmo só porque os óculos têm de ser mostrados, ou para esconder uma noite mal dormida ahah.

3. Usamos sapatos que são apenas e literalmente para serem mostrados, porque na realidade magoam os pés que é uma beleza ou não são feitos com materiais à prova de tudo, mas são perfeitos aos nossos olhos porque são simplesmente lindos. 

4. Aquele sentimento de pura alegria que sentimos quando a nossa loja favorita (ZARA por exemplo) actualiza o site com todas as novidades. Normalmente num horário e em dias que já sabemos de cor e salteado.

5. Aquele ataque extremo que nos dá quando decidimos fazer uma limpeza ao armário, que demora dias e não horas. 

6. Dar roupa é como dar cãezinhos bebés, quase como se já tivéssemos dado um nome a cada uma das peças de roupa ou a tratamos como se fossem nossos filhos - apesar de ser sempre muito aberta com este tipo de coisas e de dar sem qualquer problema a roupa a pessoas mais necessitadas, há sempre aquelas peças favoritas que até trememos quando tem uma nódoa.

7. A Black Friday (não muito comum por cá) ou os primeiros dias de saldos são como se fossem o Super Bowl para nós, paramos tudo o que estamos a fazer o que temos planeado para esse dia para atacarmos as lojas favoritas em busca daquelas peças que tanto queremos a um preço amigo. 

8. Já dominamos todos os truques para entrarmos em casa com sacos de compras sem termos aqueles olhares dos pais ou dos nossos roommates.

9. Quando as roupas ou peças brancas só nos ficam realmente bem quando estamos bronzeadas. Quando isto acontece, há sempre quem opte por um spray tan e esse spray tan acaba por tingir a roupa - not for me, mas acontece.

10. Quando num momento as calças da mãe ou os sneakers passam a ser tendência e deixamos de os ver como peças insultuosas no mundo da moda. 


Ahah nem todos estes problemas me são familiares, mas alguns deles sim. Tanto histórias de amigas como experiência própria. São tudo coisas que só as fashionistas entendem, certo girls

01
Dez13

"Ano novo, vida nova"



src

Todos os anos, por esta altura enchemo-nos de esperanças e de vontade de (re)começar. A entrada no novo ano é sempre uma boa altura para começarmos de novo, de traçarmos novas metas e de estabelecermos novos objectivos na nossa vida. Posso dizer que em 2013 concretizei vários sonhos, um deles foi ter o Sammy na minha vida, tornou-se ainda melhor daquilo que alguma vez imaginava, desde sempre que quis ter um puppy e 2013 foi o ano em que se realizou e hoje em dia não consigo pensar na minha vida sem ele. E para 2014 o que devemos mesmo pedir e como devemos organizar a nossa vida?



Ano novo, vida nova. Vamos tornar o ano de 2014 num ano de reviravolta com novos hábitos, melhorar a nossa maneira de comer, a nossa maneira de estar e de agir em determinadas situações, vamos construir novos hábitos. Pode parecer um cliché, até porque bem sem que quase todas pretendemos "prometer" que vamos emagrecer nesse ano, ou que vamos esforçarmo-nos muito mais para irmos ao ginásio com mais frequência, mas passar à prática é mais complicado, por isso mesmo vamos estabelecer metas, começando um dia de cada vez.

src
Escolham um objectivo que querem atingir, um hábito que gostariam mesmo de adquirir e tentem cumprir e encaixá-lo na vossa agenda uma a duas vezes por semana, tentem falar disso mesmo com uma amiga e façam com que ela seja a vossa "personal trainer", para tomar conta de vocês e assim vão ter mais uma desculpa para irem ao ginásio por exemplo. Para quem fuma, deixar de fumar é um óptimo objectivo para cumprir este ano, todas nós sabemos que é um hábito muito mau para a nossa saúde, para a carteira e para as pessoas que nos rodeiam. Podemos ainda procurar mudar hábitos mais pequenos, como deixar de petiscar em frente à TV ou deixar de ir 20 vezes ao facebook por dia, desligar a internet quando temos de estudar ou de nos aplicar em alguma tarefa etc. Diz-se que em 21 dias conseguimos adquirir um novo hábito, por isso o mês de Janeiro vai ser o mês perfeito para começarmos a pôr à prova a nossa força de vontade.

OUT OF THE BOX

Para estabelecermos um objectivo não nos devemos esquecer que este tem de ter um deadline, uma data para que este tenha fim e desta forma tentar que seja um hábito adquirido, tentar manter na nossa vida e claro respeitar sempre os nossos valores e aquilo que somos. Em 2014 aproveitem ainda para saírem da vossa zona de conforto, usarem peças de roupa diferentes que acham giras mas que pensam que em vocês não ficam tão bem, usarem mais saltos altos, mais acessórios arrojados, apostar na maquilhagem e apostarem em vocês, experimentarem aquele restaurante que sempre quiseram experimentar - quem nunca experimentou sushi, comida indiana ou tailandesa, experimente. Trazer novas experiências, mesmo que sejam menos boas, vão sentir que estão mais vivas e já podem dizer que experimentaram e sabem o que é.

AJUDAR OS OUTROS

Para além de fazermos coisas por nós, vamos ajudar mais os outros. Há muita gente a precisar de nós, desde famílias, amigos, pessoas que vivem nas ruas, crianças, animais. Vamos perder algum tempo dos nossos dias para ajudar, mesmo que não seja monetariamente, ajudar, fazer companhia. Há tanta coisa que podemos fazer. Podemos também dar uma volta no nosso armário, ver o que já não usamos, o que está grande e o que não está e dar tudo aquilo que estiver em condições. Cada vez mais há pessoas a precisar de nós e devemos ajudar, vivemos num mundo de abundância e há pessoas com nada ou quase nada. Em 2014 gostava de perder mais um tempo com as crianças da Casa da Criança por exemplo, são fabulosas e ficam super contentes só de ir perder um Domingo à tarde a brincar com elas e enche-nos o coração só de sentir a felicidade delas.

DIETA PESSOAL E DE CARTEIRA

Podemos iniciar uma nova dieta, novos hábitos de alimentação, comer melhor. Entrar em novas poupanças, deixarmos de ser tão compradoras compulsivas, comprarmos menos e melhores peças, peças mais essenciais - vai ser o mais dificíl eu sei - mas podemos começar por utilizar aplicações ou até mesmo criarmos um sistema de organização pessoal onde recolhemos de duas em duas semanas todos os recibos do que gastámos, vai ajudar-nos a perceber no que gastamos e como gastamos o dinheiro.

VALORIZA-TE

Vai haver sempre aquelas pessoas com quem nunca vamos fazer clique, há pessoas que nos devem sempre um pedido de desculpas, e que o vão ficar sempre a dever mas há coisas tão mais importantes do que isso na nossa vida. Há que manter sempre um pensamento positivo, alimentarmos a nossa auto-estima, antes dos outros gostarem de nós, temos de ser os primeiros a valorizar aquilo que temos, não somos perfeitos e todos temos defeitos e virtudes, e temos de aceitar como somos e como os outros são. Aprendemos todos os dias a conviver e a socializar de novas maneiras, todos os dias vamos descobrindo coisas novas e devemos enfrentar a vida com um sorriso, tentarmos ser felizes o máximo que conseguirmos e vivermos um dia de cada vez, até porque já que cá estamos, vamos mas é viver.

30
Ago13

GIRLS ONLY | Acabou, e agora?

src
Numa das minhas noites a ver o Sexo e a Cidade na Fox Life, pus-me a pensar nos relacionamentos da Carrie e das suas amigas e estive a analisar a forma como elas reagem e lidam com o fim das relações amorosas. A Carrie é apaixonada pelo Big, disso já todas sabemos mas na realidade nem todas podemos ficar com o Mr.Big ou aquele que achávamos que seria o Mr.Big pode não o ser. O fim de um relacionamento pode ser muito complicado e há mulheres que lidam bem com isso e outras nem por isso, também depende sempre dos motivos e de quem acabou, de como estava a relação etc.

É verdade que já recebi inúmeros emails com conselhos sobre este mesmo assunto, muitas mulheres perdem toda a auto-estima que tinham, entram em depressão, não querem sair do quarto nem têm vontade de fazer nada. Nos primeiros dias, nós, as amigas, compreendemos essa mesma frustração mas passado uns dias do final da relação temos de entrar em acção e não são só as amigas que têm de "deitar mãos à obra". Pode ser muito complicado esquecer aquele que poderia ser "o amor da nossa vida" no entanto os desgostos de amor fazem parte da vida de qualquer ser humano, muitos deles são inspirações para livros e para canções que se tornam um êxito - a Adele é exemplo disso. 


http://www.inslee.net/

Em primeiro lugar, temos de nos mentalizar que não é o fim do mundo, até porque já vivemos sem ele antes e apenas vamos mudar a nossa maneira de viver. Podemos sempre pensar no lado positivo, temos mais tempo para nós, mais tempo para idas ao cabeleireiro, à manicure, pedicure e quem sabe umas massagens e um spa - o que interessa é mimarmos nos primeiros tempos para recuperarmos a nossa auto-estima aos poucos. Dizem que um novo corte ou um novo tom de cabelo são logo dois passos importantes e que podem mesmo por-nos melhor, uma ida às compras com as amigas é outro dos passos a cumprir. Contudo e antes de tudo isto, temos de nos "desintoxicar", segundo o que li na Happy o amor afecta as mesmas áreas do cérebro que a droga e o tabaco e por isso mesmo o amor também pode causar vício e devemos lidar com o nosso ex como se fosse cocaína nos primeiros tempos e deitar fora tudo como cartas, emails, fotos e presentes que nos fazem pensar nele, não temos necessariamente de o apagar do facebook ou apagar o número de telemóvel dele mas temos de nos controlar e evitar falar com ele ou ir espreitar-lhe o facebook

Nos primeiros tempos o nosso pensamento não pode ser "vamos mesmo ficar amigos", isso faz com que tenhamos esperanças de que as coisas possam reatar, se isso acontecer será mais tarde e não devemos viver nessa ansiedade ou com essa esperança. Sabemos que o tempo cura tudo e que os primeiros tempos não vão ser fáceis, temos de nos lembrar que apesar de tudo não é de um dia para o outro que o vamos esquecer e por isso mesmo devemos evitar estar sozinhas nos primeiros tempos, falo por experiência própria e de facto as nossas amigas são a nossa melhor companhia - nem que tenhamos de passar uns dias em casa delas ou passar dias inteiros com elas e noites também, até porque há noite estamos mais sensíveis e temos tendência a pensar mais nas coisas. 

Acabar uma relação é dificil, passamos um mau bocado e podemos sentirmo-nos mais fracas, sem vontade de fazer nada apenas de comer gelados e chocolates enfiadas no sofá e a vermos filmes românticos enfadonhos e melosos com o pacote de lenços de lado. Não se esqueçam que há milhões de homens fantásticos por aí e what's meant to be, will be. Não desistam de vocês mesmas até porque, apesar de neste momento não parecer, são bem mais fortes daquilo que pensam - vejam pela Carrie e pelas amigas, vão às compras, vão sair à noite e acabam por se divertirem imenso e por criar mais memórias juntas, mais tarde vamos rir-nos das nossas figuras tristes. 

PUB