Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sketchbook SIX

12
Mar15

BE Happy.



No passado domingo foi o dia da mulher e como não podia deixar de ser, tinha de reflectir sobre algumas coisas que acontecem actualmente na sociedade. Não vou falar de desigualdades entre sexos porque fomos bombardeados sobre este assunto no fim-de-semana, ou sobre a violência doméstica, estive a reflectir um pouco sobre os padrões da sociedade dos dias de hoje, em conjunto com o manifesto que a Revista Happy lançou. 

Sentimo-nos quase obrigadas a perder peso para sermos bonitas em vez de saudáveis. Sentimo-nos na obrigação de preparar o jantar ou cuidar da casa para sermos vistas como mulheres exemplares. A sociedade dita as regras e se não as seguimos, somos “mulheres estranhas” ou demasiado modernas, nem todos os homens aceitam isso. Eu pessoalmente gosto muito e tenho todo o prazer em cozinhar ou ter tudo arrumado, mas faz parte de mim. Mas e as mulheres que não nasceram para a cozinha ou são são organizadas na sua própria desarrumação? 

Gosto de usar maquilhagem e saltos altos, mas há dias em que só me apetece calçar os meus ténis, sair com o cabelo meio desajeitado e sem maquilhagem. E faço-o porque sou feliz e não há nada melhor do que uma mulher confiante. Gosto de sonhar, sonhar bem alto e independentemente da possibilidade de realizar os meus sonhos ou não, continuo a sonhar porque são os sonhos que me movem e que me fazem levantar todos os dias da cama. E a ti o que é que te move? 

Quando perdi peso foi por uma questão de saúde e de não me sentir bem comigo mesma, não por uma questão de entrar nos padrões da sociedade. Tenho celulite, vou ao ginásio, ataco as bolachas, devoro chocolate. E daí? Sou feliz assim. Procuro um estilo de vida saudável e que ao mesmo tempo me deixe feliz, não quero ser privada das melhores coisas da vida porque só vivemos uma vez. 



 Sou mulher, somos todas mulheres, cada uma com os seus sonhos e com os seus ideais. Cada uma à sua maneira, com as suas particularidades. Olha-te ao espelho e vê o que mais gostas em ti, se é do teu sorriso, dos teus olhos, do teu cabelo, da tua gargalhada, das tuas sardas, da tua maneira de ser. És tão bonita por dentro como és por fora, aceita como és e sorri porque isto sim é ser feliz. É aceitarmos quem somos, sem as pressões de quem querem que sejamos. Não tentes ser quem não és, porque só vives uma vez e deves aproveitar a tua vida da melhor maneira. Agradece por estares aqui, por veres a luz do dia ou por conseguires ouvir os pássaros a cantar. 

Agradece por estares viva, por conseguires sorrir. Quando é que foi a última vez que deste uma gargalhada realmente bem dada? Desliga-te do mundo e liga-te ao que realmente importa, por vezes sentimos esta necessidade de sentir as coisas simples da vida. Experimenta desligares-te um dia que seja das redes sociais, do telemóvel ou da caixa de entrada, senta-te à mesa com as tuas amigas e aproveitem o momento. Junta a tua família e absorve cada segundo porque nunca se sabe o dia de amanhã. As coisas simples da vida são o que realmente nos deixam HAPPY. Aceita quem és, vive segundo as tuas regras e desliga-te do mundo. 

 Deixa o desgosto amoroso para trás porque se tens o coração partido, é porque ele não te merece. Arranja um homem que te aceite como és, que te faça sentir bonita sem maquilhagem, com o cabelo despenteado ou com a roupa que mais gostas. Dá um passo em frente, sempre. Em tudo o que fazes, porque a tua vida começa agora. Faz com que o teu dia de hoje seja sempre melhor do que o de ontem. Aprende a viver. Isto sim, é ser mulher. Ser mulher é ser feliz, não precisas de te esforçar em seres alguém que não és. Aceita e sê feliz. Sê melhor por ti e não por mais ninguém.


5 comentários

Comentar post

PUB