Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

SIX, blog

Nunca desistas

10.05.18 | Joana Carreira

hai-3.jpg

 

Há duas regras na vida e que nunca nos devemos esquecer

# 1 Nunca desistas

# 2 Lembrar-te sempre da regra nº1

 

 

Todos nós temos fases na vida em que começamos a questionar tudo, a questionar se tomámos as decisões certas, se devemos seguir por este ou por aquele caminho ou até mesmo pequenas coisas do dia-a-dia. Todos nós temos picos de cansaço ou fases em que andamos mais cansados: ou do acumular da rotina, do dia-a-dia ou simplesmente porque andamos mais desmotivados.

 

 

No outro dia em conversa com dois amigos meus pensámos "o que é que nos preenche no que fazemos no dia-a-dia?" "o que é que realmente gostamos mesmo de fazer e o que é que não gostamos tanto?" e até que ponto é que "as coisas que não gostamos tanto de fazer e temos de as fazer, nos consomem de tal maneira que leve a que tirem o prazer às coisas que gostamos de fazer".

 

O meu pai sempre me disse que no dia-a-dia vamos sempre ter de fazer tarefas que não gostamos, seja em casa ou no trabalho. E na verdade, muitas vezes tomamos uma posição mais pessimista sobre as coisas que não gostamos de fazer de tal forma que começamos a adiar as coisas que não gostamos tanto de fazer e deixamos que o sentimento negativo "abafe" o prazer ou o gozo que temos nas pequenas coisas do dia-a-dia, tarefas domésticas etc.

 

Um amigo meu pôs-me a pensar sobre isto e a verdade é que me deixou inspirada a exteriorizar este pensamento que acho que pode ser útl para muitos de nós. Quando é que foi a última vez que fizeram algo para vocês mesmos? Algo que vos dá realmente prazer? Seja ler um livro, jantar com as amigas, desenvolver aquele teu projecto pessoal que te tira o sono sempre que pensas nele, praticar desporto, ver um filme, ir ao teatro, viajar.... Por vezes acabamos por nos esquecer de nós e do nosso desenvolvimento pessoal. Por exemplo, sempre adorei estudar e sempre planeei desenvolver a língua francesa, sempre quis aprofundar ainda mais a língua francesa, mas sempre me desculpei com o típico "não tenho tempo". Ou o ir mais vezes ao ginásio, tem sempre a desculpa "não sei como vão ser os meus dias". Comprometemo-nos sempre com os outros, mas até que ponto é que nos nos devemos também comprometer connosco? Fins-de-semana, levantar mais cedo durante a semana ou tirar uma vez por semana ao fim do dia para termos tempo para nós e para o nosso desenvolvimento pessoal? 

  

 

1 comentário

Comentar post