Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Sketchbook SIX

04
Set15

NYC diaries: o primeiro (re)impacto



Sempre fui uma pessoa cheia de sonhos, acho que são os sonhos que nos movem e dão sentido às nossas vidas. Sempre quis viver aqui, nesta cidade! Lembro-me desde pequena de sonhar com isto tudo, até ao dia em que aterrei aqui pela primeira vez, há 9 anos. Apanhámos o famoso yellow cab e chegamos ao centro de Times Square. Aquele primeiro impacto deixou-me sem respirar durante uns segundos, não acreditava que estava ali, que estava com os pés em solo americano e na minha cidade do coração, era um sonho tornado realidade.

Hoje foi igual, há 3 semanas que não durmo com a excitação toda de voltar aos lugares que me fizeram sonhar. Esta magia nas ruas, o meu sonho de um dia espreitar a Broadway, de ver de perto o American Dream. Cá estou eu, em NYC na cidade que nunca dorme, tal como eu.  Os sonhos continuam, apesar de tudo o que ouvimos sobre os Estados Unidos, Nova Iorque continua a ser aquela cidade que me deixa de lágrimas nos olhos, lágrimas boas. Ás vezes tenho de pedir para me beliscarem para acreditar que é verdade, parece um sonho! 9 anos depois volto aqui. Volto à cidade que tanto me moveu durante anos. Parece que conheço a cidade como se fosse de cá, lembro-me de tudo e quero viver estes dias ao máximo. Não estou com isto a dizer que quero muito viver aqui, mas lembro-me que há 9 anos atrás nunca imaginaria a minha vida como é agora, tinha tantos planos que acabaram por dar uma reviravolta, igualmente boa! 

Onde estão os sonhos de quando éramos mais novos? Com o passar do tempo parece que nos esquecemos daquilo que nos movia, podiam ser sonhos absurdos, mas não deixaram de ser sonhos nossos. Ás vezes penso, será que com o passar dos anos vamos abdicando dos nossos sonhos? Porque é que isso acontece, se é isso que dá rumo às nossas vidas? Sonhava muito, continuo a fazê-lo e tenciono continuar a sonhar porque a vida sem sonhos é aborrecida. Sonhos grandes ou mais pequenos, não são categorizáveis, são sonhos! E é a isso que nós vamos agarrar. Precisamos de sonhar! 


3 comentários

Comentar post

PUB