Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sketchbook SIX

24
Out15

Paleochic



Estes últimos dois meses aqui em casa têm sido uma confusão que diz respeito à alimentação,  uns jantam ovos mexidos, outros jantam sopa, outros jantam torradas e outros jantam bolonhesa... As mudanças começaram primeiro com o meu pai... agora a minha mãe e eu sou a seguir. Digamos que o meu pai foi a cobaia de um novo estilo de vida (ainda) mais saudável que se baseia em comermos melhor: olhar mais para os nutrientes e menos para as calorias. 

Reparámos que andávamos a ingerir pouca proteína (tanto animal como vegetal) e andávamos a viver à base de uma alimentação pobre em nutrientes, Ando a ler muito sobre este assunto, quem nos conhece sabe que desde o cancro da minha mãe que mudámos completamente a nossa alimentação e os nossos hábitos e agora, queremos caminhar sempre para o melhor possível e tratar da nossa saúde em primeiro lugar.

Como? Comendo alimentos biológicos, fugindo dos alimentos processados, do glúten e de todos os açúcares refinados e escondidos que encontramos no nosso dia-a-dia. O que quero então dizer com isto, que me vou mudar para uma quinta no Alentejo, colher e comer apenas o que vou cultivar? Seria o ideal, mas não. Com o acompanhamento de um nutricionista, estamos a adoptar um estilo de vida que se baseia muito na ingestão de proteínas e de hidratos de carbono bons, a ideia é, numa fase inicial desintoxicar o corpo dos quilos e quilos de cereais e açúcares refinados e escondidos que aqui estão dentro e começar a saber comer melhor e a ingerir mais nutrientes. 

"Mas não precisas de emagrecer mais..." dizem vocês. Pois é, mas não vamos falar de emagrecimento, até porque não vamos ver o número a baixar na balança, mas sim as calças a alargar porque o que vamos fazer é desinchar, "secar". Confesso que NUNCA nesta vida diria que ovos ou restos do jantar ao pequeno-almoço seriam uma opção saudável, mas a verdade é que cada vez mais há estudos e resultados comprovados disto mesmo (claro, sempre dentro de um plano com uma lógica, restrições e alimentos de sinal "verde"). 

Então no fundo no que consiste este novo estilo de vida? Bem, de novo não tem nada porque é um update da dieta que os Paleolíticos faziam há milhões de anos atrás para os dias de hoje. Não é a dieta do Paleolítico à risca, mas tem alguns fundamentos na forma de como se alimentavam adaptada aos dias de hoje e que tem tido cada vez mais adeptos. Vamos dar-lhe um nome fancy, estilo Paleochic. Prometo ir dando updates da Paleochic, assim já sabem que sempre que virem um post por aqui chamado de Diário de uma Paleochic, sabem ao que me refiro. 

O que é que me despertou nesta dieta sem glúten e sem lactose e com mais proteínas? Bem, em primeiro lugar os resultados NOTÁVEIS no meu pai, MESMO - está a ficar com um six pack invejável e não é exagero! Depois o facto de ter andado a ler e pesquisar sobre o assunto e realmente fazer todo o sentido o que é dito pelo nutricionista. Se pensarmos bens, todos os alimentos de hoje são processados, ou quase todos. Há açúcares escondidos e mesmo os produtos rotulados de "light" ou "magros" acabam por ser traiçoeiros, e como nem todos temos tempo para ler os rótulos e perceber onde estão estas substâncias maléficas escondidas, pode ser uma opção

Contudo, também é certo que consegui emagrecer à base dos produtos light e da mudança da minha alimentação. Volto a reforçar que se querem emagrecer ou adoptar um estilo de vida mais saudável é SEMPRE com acompanhamento de um nutricionista e quando digo acompanhamento é marcação de consultas, não se metam a comprar livros desta e daquela dieta que promete perder 10kg num mês, podem fazê-lo sim, mas depois de perceberem qual a lógica da vossa dieta e da vossa nova alimentação. Questionem o nutricionista, perguntem-lhe o porquê de não puderem misturar arroz com ervilhas ou massa com milho. Sejam curiosos, foi isso que me fez entrar por este mundo da alimentação e querer saber mais de como se deve comer e o que comer.

Há que saber ouvir e ler os sinais do nosso corpo, porque sim, ele dá sinais. Por exemplo, quando voltei de NYC vinha inchada até ao nariz, não só devido ao voo, mas também devido ao calor e à alimentação que tive por lá e nessa semana percebi que o meu corpo estava mesmo a pedir ajuda, e segui a dieta que me tinha sido traçada. Há que saber tratar do nosso corpo e os alimentos curam mesmo. Agora que quero perder estas gorduras acumuladas que não vão embora por nada deste mundo, fiquei com curiosidade em experimentar. Só tenho consulta daqui a dois meses (foi o mais cedo que se conseguiu), até lá vou lendo umas teorias, uns livros sobre o assunto e vendo umas palestras dos nutricionistas adeptos deste estilo de vida, bem como ouvindo aquilo que se vai dizendo aqui por casa, no fundo as informações que são transmitidas nas consultas e vou aprendendo. 

Se vou conseguir? Não sei, isto de deixar os cereais e os iogurtes vai-me custar muito! Se vou questionar muito o nutricionista na minha consulta? É provável, até porque quem me conhece, sabe que sou assim.. curiosa! Nem sei se poderei fazer esta dieta ou não, todas as dietas têm as suas restrições, esta normalmente como envolve muita proteína pode fazer mal ao fígado por isso há que fazer exames médicos e perceber qual o melhor plano para eliminar estas gordurinhas para além das idas aos ginásio. Não custa investigar, para já ando a apalpar terreno, vou dando notícias... e despedindo-me aos poucos de alguns hidratos de carbono a mais na dieta (hello sashimi, bye bye temakis)

PUB