Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Sketchbook SIX

25
Jun15

Vamos de viagem...


... já estou oficialmente despachada dos exames. Foi o primeiro ano de mestrado que agora chegou ao fim, avizinham-se as férias de verão antes de voltar enfiar a cabeça nos livros, em literature reviews e por fim, na tese. Até lá, resta-me aproveitar bem o verão, as férias e todas as viagens e aventuras que tenho programadas para os próximos meses que se avizinham. 


Já vos tinha mostrado a minha nova colecção de malas da American Tourister e hoje venho falar-vos um pouco sobre o que me levou a escolher cada uma delas e dar-vos algumas dicas sobre como devem escolher uma mala de viagem. 

Não foi a toa que escolhi estes modelos, apesar de ter sido atraída pelas cores vivas e alegres, cada mala teve uma razão de ser. Aqui em casa costumamos ter o hábito de viajar de vez em quando, pelo que malas de viagem são sempre algo que não falta, contudo, a última mala que tínhamos comprado foi na nossa viagem a Londres há 4 anos quando começámos a perceber que as coisas que tínhamos comprado por lá, não iam caber nas malas que tínhamos levado connosco. No entanto, a estratégia desta vez foi acabar por arranjar malas de vários tamanhos e vários materiais, visto que quando vamos de fim-de-semana acabávamos sempre por levar malas demasiado grandes, e por isso um tamanho pequeno é o ideal.

Os tamanhos médios são os tamanhos que mais uso, para viagens de uma a uma semana e meia, e por como são as malas que mais usamos por aqui, acabámos por optar pelo modelo San Francisco da American Tourister em cor-de-laranja e a Spring Hill em azul turquesa. Depois, como tamanhos maiores, optei por uma mala em fibra em verde alface no modelo Bom Air e uma mala em tecido cor-de-rosa no modelo San Francisco também. A mala dura, em fibra foi comprada a pensar especialmente em viagens de longo curso, dá sempre jeito e acaba por proteger bastante o interior da mala. Outra coisa de que gostei imenso nestas malas é que trazem um cadeado incorporado na mala, ou seja, não tem de se preocupar com este detalhe que por vezes nos passa ao lado. Cada mala tem um cadeado de código que tranca a mala e que só é aberta quando o código é inserido. 

Um dos problemas que tenho, principalmente quando viajo sozinha é o de ter de andar com a mala que por vezes está super pesada, aliás, quase sempre visto que levo sempre a casa às costas e por isso mesmo quando optei por malas novas, todas elas tinham de ter o mesmo requisito: terem quatro rodas para que seja mais fácil deslizá-las e transportá-las de um lado para o outro.

O que é que é devemos ter em conta quando escolhemos uma mala? Não só o peso de cada uma delas vazia, estas da American Tourister são super leves, mesmo! A de fibra então surpreendeu-me bastante! Mas também requisitos como quais são o tipo de viagens que mais fazemos, se fins-de-semana de carro, se viajamos muito de avião. Para as viagens de carro e para fins-de-semana a dois, sugiro as malas de porte médio, são super práticas e acaba por dar para levar tudo, tanto de um como de outro, tal como eu e o Manel fizemos no nosso fim-de-semana a Évora (aqui), levámos o modelo Spring Hill. 

Se viajam bastante de avião e se são viagens de curta duração podem sempre optar por malas mais pequenas que dêem para levar na cabine e por fim, se fizerem viagens de longo curso, as malas duras em fibra são uma óptima opção para viagens que englobem muitas horas de avião, escalas em outros aeroportos etc. Depois, as viagens em família as malas grandes são as que prefiro, dá para levar tudo e mais alguma coisa, até conseguimos enfiar os primos chatos lá dentro! Ahah. Já estreei a minha mala laranja, a San Francisco no meu fim-de-semana em Paris (aqui), agora resta-me estrear as maiores, e isso é bom sinal, é sinal que as férias grandes estão a chegar!

Portanto, resumindo: peso, cor, vários tamanhos, quatro rodas. São os 4 requisitos para escolherem uma boa mala! São sempre um bom investimento e são coisas que duram anos e anos e anos!



PUB