Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

SIX, blog

Como usar tendências?

17.08.18 | Joana Carreira

Muito se tem falado na questão das tendências e de todas usarmos as mesmas coisas, de repente toda a gente usa cestas, lenços, boinas, vestidos em linho, colares de conchas, biquinis subidos, ténis "Balenciaga", sacos de rede e consigo prever uma grande onda de padrão serpente, botas altas, xadrez e por aí fora. A verdade é que as tendências estão aí por algum motivo, para usarmos, para nos inspirarmos mas não para de repente deixarmos de ter "um estilo próprio" e usarmos só porque são tendência. 

 

Captura de ecrã 2018-08-17, às 09.15.11.png

 

quem nunca?

Eu falo por mim, já me deixei levar por algumas peças no passado porque eram tendência e acabaram por ficar por usar, até ter aprendido. Acho que todas nós já passámos por isso - lembram-se dos sapatos Bufalos por exemplo? Eram uma tendência e todas nós adorávamos e usávamos, mas se formos a ver hoje em dia é zero o meu estilo. Acho que todas nós tivemos essa fase e não queremos que essa "fase" volte. Qual é então a principal diferença entre as tendências e o estilo próprio? Como sabemos que não nos vamos deixar levar por mais uma onda de padrões de serpente, xadrez e por aí fora? O truque está em questionar. Se isto não fosse tendência, será que usava? Será que vou usar com outras peças que já tenho no armário e que uso a toda a hora? Por aqui falo muito em tendências, tendências que me inspiram, que se enquadram no meu estilo pessoal e de que gosto muito, com ideias e outras dicas de como usar ou um padrão tendência, ou um acessório para que aquilo que possa parecer uma tendência do agora, continue a ser usada por nós durante muito mais tempo. 

 

Captura de ecrã 2018-08-17, às 09.21.28.png

 

o estilo próprio e as tendências, como conjugar?

Tudo começa com a definição de um estilo próprio, todas nós já demos por nós a ir às compras e experimentar looks bem diferentes do que costumamos usar, muitas vezes acabamos por gostar de nos ver e depois na hora de vestir, acabamos por não vestir tanto assim, ou até, acabamos por nunca usar. Experimentem looks novos sim, coordenados diferentes, mas sempre dentro do vosso estilo. Se tiverem já, à partida, aquele feeling que adoramos mas que nunca vamos vestir, é certamente uma daquelas peças que vai ficar pendurada no armário e depois corremos o risco de nos fartar daquela peça só de a vermos por aí e nem se quer a usámos. E em alturas em que nos falte alguma inspiração, há duas dicas: ler (pesquisar, ver, espreitar as melhores revistas de moda, imagens de street style, style muses, ver alguns desfiles e até mesmo pesquisar no nosso armário, por vezes uma limpeza no armário resulta em novas ideias de conjugar peças) e less is more (nada como os básicos para um detox). Se formos a ver, a maior parte das tendências são ditadas na rua, e acabamos por nos inspirar em pessoas com um estilo muito próprio. Por isso, usem as tendências sim, mas apenas aquelas com as quais se identificam, até porque a magia está aí mesmo, tendências conjugadas com um estilo e linguagem própria.