Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

SIX, blog

Um número não te define

18.09.18 | Joana Carreira

Já há algum tempo que queria escrever sobre este tópico e com a chegada desta nova funcionalidade dos stories do instagram, este tema teve alguma visibilidade - não só em Portugal, mas também lá fora e que passa por esta obsessão com o peso, com o número de roupa que vestimos ou quanto pesamos. Reparei que muitas das perguntas que são feitas são à volta do "quanto medes e quanto pesas" ou do que "que número vestes"? E precisamente por isso, decidi escrever este post porque reparei que estas perguntas são recorrentes. Oh well, a verdade é que um número não nos define, ou pelo menos não deveria, e se é através dos números que se estão a guiar, o caminho não é por aí. 

 

shoes.jpg

 

A verdade é que quando iniciei o processo todo de perda de peso não estabeleci um objectivo de "quero pesar x ou y", simplesmente fui perdendo peso até me sentir bem, ter adoptado novas rotinas e novos hábitos alimentares, sempre acompanhada por um nutricionista que nunca me deixou cometer loucuras. Decidi mudar porque não era saudável e porque tinha um estilo de vida que, a longo prazo, me iria trazer problemas e nunca por "um número", mas sim por "saúde". Todas nós sabemos o quão paranóicas podemos ser e nos podemos tornar com um determinado número - pode ser frustrante estarmos constantemente a subir a balança ou a usar o mesmo número de calças e não vermos o número baixar ou subir. Começamos a ficar presas a esse número e começamos bloquear, a cometer loucuras ou simplesmente "a desistir". Eu posso falar por experiência própria, sei perfeitamente o quão angustiante pode ser subir na balança e ver sempre o mesmo número ou até mesmo o número a oscilar, até que o deixei de fazer.

 

Não vou mentir, é verdade que quando iniciei esta perda de peso queria realmente comprovar que estava a fazer efeito e subia para a balança todos os dias de manhã. No início o processo é bem mais rápido, é um facto e isso deixou-me motivada - imaginem alguém com uma alimentação péssima, de repente muda tudo, obviamente que ia ter resultados mais rápidos. O pior foi quando ao fim de 3 meses começou a ser um processo mais lento. Aí sim entramos em paranóia e vivemos sempre em função daquele número que vemos todos os dias de manhã na balança. Foi aí que comecei a perceber que não era saudável - e quando o nutricionista me dizia que não queria que me pesasse todos os dias, percebi mais tarde o porquê desse pedido. Deixei o fazer e acreditem que melhorou muito o processo, porque no fim do dia, somos mais que isso. 

 

 

1 comentário

Comentar post